25 fevereiro, 2008

And The Oscar Goes To....

Conferimos ontem a 80ª Edição do Prêmio mais importante do cinema. Os Academy Awards, mais conhecido como Oscar. Numa noite de muita alegria em conta da homenagem ao próprio Oscar, conhecemos vencedores que já estavam garantidos, outros que surpreenderam e uma das maiores marmeladas dos últimos tempos. Vamos aos prêmio e logo após os comentários sobre a festa em si. As premiações serão seguidas das apostas dos membros deste blog.

Melhor Filme

Minha aposta e do Rodrigo: Onde os Fracos Não Têm Vez

Vencedor: Onde os Fracos Não Têm Vez

Esse era um dos prêmios garantidos da noite. Depois de praticamente receber todos os prêmio a que foi indicado, era quase certeza que levasse o mais importante de todos. Um dos filmes mais aclamados e elogiados pela crítica nos últimos tempos e que também encheu os olhos da Academia. Apesar de acharmos que iria ganhar, eu preferia Conduta de Risco e o Rodrigo, o Sangue Negro.

Melhor Direção

Minha aposta e do Rodrigo: Joel e Ethan Coen por Onde os Fracos Não Têm Vez

Vencedor: Joel e Ethan Coen por Onde os Fracos Não Têm Vez

Assim como o filme, a direção dos irmãos Coen também arrebatou quase todos os prêmios importantes incluindo o DGA. Os irmãos que têm um estilo único de dirigir e criar seus filmes, mais uma vez conseguiram encantar crítica e público com seu filme. O meu favorito era o Tony Gilroy e o do Rodrigo era o Paul Thomas Anderson.

Melhor Ator

Minha aposta e do Rodrigo: Daniel Day-Lewis por Sangue Negro

Vencedor: Daniel Day-Lewis por Sangue Negro

Imbatível! Esse era o prêmio mais certo da noite. Daniel Day-Lewis se deixou ser possuído pelo seu personagem e despertou admiração por todo o mundo. O público acredita e se deixa envolver por cada segundo de sua interpretação. Era o favorito dos membros desse blog.
Melhor Atriz

Minha Aposta: Marion Cotillard por Piaf - Um Hino ao Amor
Aposta do Rodrigo: Julie Christie por Longe Dela

Vencedora: Marion Cotillard por Piaf - Um Hino ao Amor

Uma das maiores surpresas e alegrias da noite. Apesar da crítica achar que Julie Christie ganharia tanto pela atuação como pela sua carreira, todos concordavam que Marion Cotillard era quem realmente merecia. Após ganhar o BAFTA na mesma categoria, Marion começou a receber mais pedidos nas bolsas de apostas e no fim conseguiu vencer a batalha Christie x Cotillard x Page. Um dos discursos mais emocionados da noite e que deixou feliz até suas concorrentes como pode ser conferido pela reação da Cate Blanchett ao anúncio da vencedora. Ela simplesmente não acreditava. Sem dúvida era minha favorita. A do Rodrigo era a Ellen Page.

Melhor Ator Coadjuvante

Minha aposta e do Rodrigo: Javier Bardem por Onde os Fracos Não Têm Vez

Vencedor: Javier Bardem por Onde os Fracos Não Têm Vez

Assim como a atuação do Daniel Day-Lewis, essa foi outra das mais elogiadas do ano pelo público e pela crítica. Javier teve a árdua tarefa de compor um personagem que não tinha nenhuma informação prévia sobre caráter nem comportamento. Só se sabia que seria um assassino psicopata. Bardem chega a passar medo pra quem o assiste e prendeu muita respiração mundo afora. Essa premiação dele foi merecida e imbatível no ano de 2007.

Melhor Atriz Coadjuvante

Minha aposta: Cate Blanchett por Não Estou Lá
Aposta do Rodrigo: Amy Ryan por Medo da Verdade

Vencedora: Tilda Swinton por Conduta de Risco

Essa foi uma surpresa pra todo mundo. Depois de tanta especulação com os nomes de Cate Blanchett, Amy Ryan e Ruby Dee, foi Tilda Swinton quem saiu rindo à toa. Assim como Marion Cotillard, ela começou a ter mais força após vencer o BAFTA. Mas sem dúvida foi a melhor das atuações indicadas e favorita dos dois membros do blog. Uma mulher que se mostra inocente e boazinha, mas que depois se mostra capaz dos mais terríveis atos.

Melhor Roteiro Original

Minha aposta e do Rodrigo: Diablo Cody por Juno

Vencedor: Diablo Cody por Juno

Como muitos previam, foi nessa categoria que a Academia recompensou Juno pelo belo desempenho de público e crítica. Um filme independente que chegou ao extremo de ser indicado a melhor filme após uma bela campanha, merecia sair com no mínimo um dos prêmios mais importantes da noite. Muito merecido mesmo e o favorito do blog.

Melhor Roteiro Adaptado

Minha aposta e do Rodrigo: Joen e Ethan Coen por Onde os Fracos Não Têm vez

Vencedor: Joen e Ethan Coen por Onde os Fracos Não Têm vez

O filme que iria levar direção e melhor filme não podia sair sem o melhor roteiro. Muitos que leram o livros dizem que a adaptação foi perfeita, de uma autenticidade incrível. Quem lê o livro, têm as mesmas sensações de quem vê o filme. Mais um prêmio que era certo na noite, ameaçado somente por Sangue Negro.

Melhor Filme de Animação

Minha aposta e do Rodrigo: Ratatouille

Vencedor: Ratatouille

Com certeza a melhor animação do ano e que era imbatível por qualquer filme que disputasse com ele. Original, inteligente, engraçado e que divertiu platéias em vários países. Mais um Pixar que ganha um Oscar. Após vencer dois Prêmios Diário dos Cinéfilos, o filme ficou mais próximo de vencer o prêmio da Academia. Hehehe.

Melhor Edição

Minha aposta e do Rodrigo: Christopher Rouse por O Ultimato Bourne

Vencedor: Christopher Rouse por O Ultimato Bourne

Depois de vencer o prêmio do Sindicato dos Editores, o último filme da trilogia Bourne ficou mais próximo de ganhar um dos prêmios técnicos mais importantes. Montagem sempre foi um forte da trilogia Bourne e no Ultimato essa qualidade técnica ficou mais visível até pra quem não entende muito da categoria. a Edição em O Ultimato Bourne é utilizada pra dar movimento, agilidade e tensão ao filme. Sem dúvida mereceu o prêmio.

Melhor Fotografia

Minha aposta: Roger Deakins por O Assassinato de Jesse James

Aposta do Rodrigo: Robert Elswit por Sangue Negro

Vencedor: Robert Elswit por Sangue Negro

Mais uma vez o talentoso Roger Deakins saiu de mãos abanando. Depois de várias indicações e de nunca ter levado o prêmio, ele perdeu mais uma vez, mesmo estando duplamente indicado. Apesar de estar torcendo pra ele, creio que com exceção talvez de Desejo e Reparação, qualquer um dos outros indicados merecia o prêmio, mas só por alguns vídeos do Sangue Negro, percebe-se que é um trabalho primoroso. Robert Elswit já tinha sido indicado anteriormente pela Fotografia do Boa Noite e Boa Sorte.

Melhor Direção de Arte

Minha aposta e do Rodrigo: Jack Fisk por Sangue Negro

Vencedor: Dante Ferretti por Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet

Dante Ferretti conseguiu criar um mundo maravilhoso em Sweeney Todd. Deve ser muito difícil trabalhar com a imaginação do Tim Burton, mas o Dante conseguiu deixar o filme ainda mais parecido com a marca Burton de cinema. Todos os ambientes criados no filme são sensacionais. A barbearia é ao mesmo tempo aconchegante e repugnante. A direção de arte foi um quesito que enriqueceu ainda mais Sweeney Todd.

Melhor Figurino

Minha aposta e do Rodrigo: Jacqueline Durran por Desejo e Reparação

Vencedor: Alexandra Byrne por Elizabeth: A Era de Ouro

Essa foi outra surpresa da noite. Todos os figurinos utilizados no filme foram muito criticados pela crítica, o que com o passar do tempo foi enfraquecendo o filme na categoria. Mas parece que ele conseguiu se recuperar a tempo e até vencer a categoria. Mesmo não entendendo do assunto, os dois membros desse blog torciam pelos figurinos do Sweeney Todd, da excelente Colleen Atwood (Memórias de uma Gueixa).

Melhor Maquiagem

Minha aposta e do Rodrigo: Piaf - Um Hino ao Amor

Vencedor: Piaf - Um Hino ao Amor

Qualquer um dos três filmes poderia levar essa, pois com a indicação de Norbit percebe-se que a academia sabe separar bem um bom trabalho dentro de um péssimo filme. Mas unindo um bom filme a uma ótima fotografia, Piaf - Um Hino ao Amor levou o Oscar. Uma completa transformação de uma mulher bela como Marion Cotillard na cantora francesa Edith Piaf. O Envelhecimento, rugas, perucas, tudo de excelente qualidade técnica.

Melhores Efeitos Visuais

Minha aposta e do Rodrigo: Transformers

Vencedor: A Bússola de Ouro

Indiscutível. Sem dúvida a maior marmelada do ano e de todos os tempos. Era a isso que me referia no texto inicial do post. Transformers tem um dos melhores efeitos visuais da História do cinemae ainda assim a academia conseguiu ignorá-lo. O mundo inteiro tinha essa categoria como certa. Aposto que ninguém ainda conseguiu engolir.

Melhor Som

Minha aposta: Transformers

Aposta do Rodrigo: Onde os Fracos Não Têm Vez

Vencedor: O Ultimato Bourne

Não chegou a ser uma surpresa, muito menos uma injustiça. Mesmo a qualidade de sonoplastia do Transformers sendo espetacular, o prêmio foi muito bem dado ao O Ultimato Bourne.

Melhor Edição de Som

Minha aposta e do Rodrigo: Transformers

Vencedor: O Ultimato Bourne

O mesmo texto da categoria acima.

Melhor Canção

Minha aposta e do Rodrigo: "Once" do filme Falling Slowly

Vencedor: "Once" do filme Falling Slowly

A Academia já provou que qualquer filme indicado com mais de uma canção nessa categoria, contrariando probabilidades matemáticas, só tende a perder. E isso aconteceu mais uma vez. Encantada com 3 canções indicadas, acabou perdendo pra canção de um filme independente que nem foi tão divulgado assim. Mas foi bem merecido. A música é linda e muito poética.

Melhor Trilha Sonora

Minha aposta e do Rodrigo: Dario Marianelli por Desejo e Reparação

Vencedor: Dario Marianelli por Desejo e Reparação

Uma das minhas categorias preferidas. A trilha composta por Dario Marianelli pro Desejo e Reparação é magnífica. Sem dúvida alguma a mais superior de todas as indicadas. Depois de dois anos de uma certa injustiça nessa categoria, parece que a academia acertou em cheio e premiou a trilha correta. Escutem. Diário de Dois Cinéfilos recomenda.

Melhor Filme Estrangeiro

Minha aposta e do Rodrigo: The Counterfeiters da Áustria

Vencedor: The Counterfeiters da Áustria

Todos os brasileiros não ligaram muito pra essa categoria esse ano. Depois da tristeza do Brasil não ter sido indicado, qualquer um dos indicados poderia ganhar que estaria tudo bem. Legal ter sido um filme que não costuma ganhar.

Melhor Documentário

Minha aposta e do Rodrigo: No End in Sight

Vencedor: Taxi to the Dark Side

O blog não pode expressar sua opinião pois nenhum dos membros conferiu nenhum dos indicados. Mas era certo que esse o Michael Moore nao ganhava. As pessoas estão dizendo que ele está começando a apelar.

Melhor Documentário em Curta-Metragem

Vencedor: Freeheld

Melhor Curta-Metragem

Vencedor: The Mozart of Pickpockets

Melhor Curta de Animação

Vencedor: Peter e O Lobo


Agora os comentários sobre a festa em si. Jon Stewart se mostrou como um dos melhores apresentadores que passaram pelo oscar nos últimos anos. Seu humor inteligente é admirável. Cada piada que fez foi super natural e muito hilária. Com destaque para a piada sobre as mulheres grávidas e Jack Nicholson e também para a dupla de apresentadoras "Dame Judi Dench" e "Halle Berry". Hahahaha. Essas duas foram as melhores de uma série de excelentes piadas. Esperamos que ele retorne no ano que vem. Conferimos uma premiação meio enxuta, sem muita enrolação, que é algo bom. Ano passado tivemos os figurinos indicados no palco, um grupo mostrando como se faz a edição de som, as sombras no telão mostrando alguns filmes. Detalhes que deixam a festa mais despojada e tranquila. Mas parece que essa falta ainda é vestígio da greve de roteiristas, que creio eu, não tiveram tempo de montar um roteiro mais "animado". Mas ainda assim foi uma boa premiação de aniversário com direito a ótimos prêmios e ótimos premiados. Nos encontramos daqui a mais ou menos um ano, em um mesmo post "And The Oscar Goes To....". Abraços a todos.
Postado por Leonardo Pereira

Links to this post:

Criar um link

<< Home